Aumento Próximo - SAAE terá reajuste na tarifa e mudanças na cobrança

Por Publicado em:30/07/2021 | Atualizado em:29/11/-0001 76

Conforme a Consulta Pública 110/2021 da ARISB, além do reajuste, deve ser alterada a forma de calcular o custo da água e esgoto em Itaúna

Durante 13 dias (17 a 30 de julho) ficou à disposição dos usuários do serviço de água de Itaúna, no site do SAAE, a Consulta Pública de número 110/2021, que trata do reajuste nos valores dos serviços de água e esgoto no município. Conforme a Nota Técnica ARISB-MG número 157/2021, é proposto um “reposicionamento tarifário” (aumento) de 3,34% e a alteração na “Matriz Tarifária” praticada na cidade. Assim o preço da água e esgoto em Itaúna passará a ser calculado a partir de uma tarifa fixa, mais o consumo realizado, além dos impostos que compõem o custo. A tarifa fixa para a água será de R$ 16,3364 (Residencial); R$ 8,1682 (Residencial Social); R$ 18,7869 (Comercial); e R$ 32,6728 (Industrial).
A novidade na nova “Matriz Tarifária” é a inclusão da categoria Residencial Social, que será cobrada aos consumidores incluídos no CAD Único, após realização de processo a ser concluído pelo SAAE. Com a alteração da Matriz Tarifária, conforme a Nota Técnica da ARISB, 12.551 consumidores, o que representa 30,02% do total, poderão ter redução na tarifa cobrada e 29.251 consumidores, ou 69.97% do total, deverão ter aumento nos valores.
Com a mudança para a nova “Matriz Tarifária”, serão implantadas 12 faixas de tarifação, começando pelo consumo de 0 a 5 metros cúbicos, que terá preço inicial para a categoria residencial, de R$ 1,1365 o metro cúbico consumido. Além disso, também haverá mudança nas categorias, que antes eram Residencial, Comercial e Industrial e, com a nova matriz, passarão a ser classificadas em Residencial, Residencial Social, Comercial e Industrial. Assim, surge a categoria Residencial Social, que terá direito a 50% de desconto na tarifação calculada para a categoria Residencial. Já a categoria Comercial terá acréscimo de 15% em relação à Residencial; e a Industrial, 100%.
A reportagem fez um apanhado nas quatro primeiras faixas de consumo, que vão de 0 a 20 m³ cúbicos, com os valores relativos ao custo do metro cúbico consumido. Assim, a cobrança será feita a partir de uma tarifa única, para todos os consumidores, e a partir daí a soma do volume de água consumido. Desta forma, o valor hipotético de uma conta para quem consome até 5 metros cúbicos de água, na categoria Residencial, seria: R$ 16,3364 de tarifa fixa, mais R$ 5,68 relativos ao consumo, totalizando R$ 19,01 de água. O esgoto será cobrado na proporção de 68% destes valores, elevando assim a conta em mais R$ 12,92, totalizando R$ 31,93. A este valor será acrescido ainda o custo da taxa de resíduos para a finalização da conta mensal do SAAE.
Os valores encontrados para a cobrança do metro cúbico consumido, para as quatro categorias a serem implantadas, são os seguintes: Residencial: 0 a 5 m3, R$ 1,1365; 6 a 10 m³, R$ 1,3298; 11 a 15 m³, R$ 1,5231; e 16 a 20 m³, R$ 2,2962. Para a cobrança na categoria Residencial Social, há o desconto de 50% nestes valores. Assim, respectivamente em relação às faixas de consumo, os valores são de R$ 0,5683, R$ 0,66,49, R$ 0,7615 e R$ 1,1481. Já para as contas da categoria Comercial, os valores, respectivamente dentro das faixas de consumo, serão de R4 1,3070, R$ 1,52,93, R$ 1,7516 e R$ 2,6406. Para a categoria Industrial: R$ 2,2731, R$ 2,6596, 3,0462 e R$ 4,5924.
O reajuste ainda não foi definido, o que deverá ocorrer após o encerramento da Consulta Pública, que foi na sexta-feira, 30 (após fechamento da edição). Como certamente não houve manifestação contrária da população, já que até mesmo a divulgação foi restrita aos sites do SAAE e da ARISB-MG, é certo que ocorrerá o reajuste nos preços básicos e a mudança na Matriz Tarifária.

Compartilhe esta notícia