Itaúna registra o menor número de pacientes do ano na Ala Covid do Hospital

Por Publicado em:13/09/2021 | Atualizado em:29/11/-0001 63

Treze novos testes positivos registrados em Itaúna. Mais de 70% da população já recebeu a primeira dose do imunizante contra Covid no município.

Os boletins da Prefeitura e do Hospital, nesta segunda-feira, 13 de setembro mostram que a pandemia está sob controle no município.

Nos dados da Prefeitura foram informados os seguintes números: 13 novos testes positivos para a Covid, com 43 pessoas com a doença ativa e devendo se manter em tratamento/isolamento. O número de óbitos está mantido em 274, sem registros de mortes em Itaúna, neste mês, causadas pela doença.

 

No Hospital o boletim traz o menor número de pacientes na Ala Covid, com 9 no total. No CTI, 5 pessoas estão internadas, o que representa 25% de ocupação da capacidade instalada. Na Enfermaria estão 4 pacientes e uma pessoa recebeu alta médica nesta segunda-feira. Também não fora registrados óbitos no Hospital.

A Prefeitura informou no dia 9 o número de doses de vacina anti-Covid aplicadas em Itaúna, superando o total de 90 mil. Destas, 67.025 foram aplicadas como primeira dose, o que dá um índice de 71.41% da população. Outras 21.648 foram aplicadas em segunda dose e mais 2.139 em dose única. Assim, 21,65% da população itaunense já concluiu o ciclo de vacinação contra Covid. Lembrando que esses números se referem ao dia 9 de setembro.

No Brasil, dados desta segunda-feira, 13, 64,75% das pessoas já receberam a primeira dose e 34,31% a segunda ou a dose única. Os dados de Minas, nesta mesma data são próximos: 65,04% receberam a primeira dose e 30,56% a segunda dose ou a dose única.

Lembrando que segundo cientistas, é necessário que pelo menos 70% da população esteja vacinada com as duas doses para se ter uma situação mais confortável.

Portugal é o primeiro país do mundo a alcançar mais de 80% da população já vacinada com as duas doses, o que ocorreu nesta segunda-feira.

Se todos colaborarem, vamos chegar lá, em breve. Vacine-se!

Compartilhe esta notícia