“PUXADINHO” NA PRAÇA - Banheiro público de volta ao centro da polêmica

Por Publicado em:08/10/2021 | Atualizado em:29/11/-0001 108

Se você já passou por uma situação de aperto e tentou conseguir um banheiro quando estava na Praça da Matriz, ou mesmo na área do hipercentro de Itaúna, sabe o tamanho do problema e a necessidade de solução. Talvez tenha concordado com a tentativa de construção da obra pelo ex-prefeito Eugênio, onde é o que denominam coreto e que ainda pretendia construir um estacionamento subterrâneo na praça... mas isso pode ser só boatos, assim como a história do “boneco do Pinto” rsrsrsrsrs. Mas também existe o outro lado, que é a descaracterização da Praça da Matriz, promovendo um “puxadinho” na banca de revistas para servir de “cagador” do Neider, como cita o jornalista Renilton Pacheco na sua “Ponta”, na página 2. E para ficar no lado mais humorístico da situação, ele cita ainda o “penico da Estelona”, a antiga fonte luminosa que não funciona, para uma comparação com a obra do atual prefeito. Assim, se o banheiro é necessário, voltando à seriedade da questão, seria necessário também um planejamento para a obra, sem arroubos de “dono” e simplesmente decidir por um “puxadinho” na banca de revistas para tornar o outrora Cartão Postal de Itaúna, que tem sua fonte desativada e é invadida pelos andarilhos, em um “mostrengo”, onde cada alcaide resolve o que fazer dele. Concluindo, a situação não é de “cagar na calça” e permite um projeto melhor pensado, elaborado e também discutido, sem essa decisão de “vamos fazer, manda cercar e coloca os pedreiros lá, porque aqui (na Praça) sou eu que mando!”.

Compartilhe esta notícia