ROYALTIES - Arrecadação recorde melhora caixa de prefeituras

Por Publicado em:07/01/2022 | Atualizado em:29/11/-0001 44

Itaúna, que fica apenas com uma pequena parte da CFEM, teve reforço de R$ 13 milhões em 2021

A Agência Nacional de Mineração (ANM), publicou valores repassados aos municípios em relação à CFEM – Compensação Financeira pela Exploração de Recursos Minerais, apontando aumento recorde para o setor, com um total de R$ 10,3 bilhões pagos como “royalties” aos municípios brasileiros. Esse aumento espetacular no repasse deve-se ao alto preço alcançado pela tonelada de minério de ferro no primeiro de 2021. Nos primeiros seis meses do ano a tonelada esteve cotada a US$ 200, em média (maior cotação foi de US$ 237 em maio). Já no segundo semestre os preços foram cedendo e a tonelada do minério fechou o ano cotada em US$ 120, registro feito em dezembro de 2021. Também a valorização do dólar contribuiu para a elevação da arrecadação.
Conforme os dados publicados pelo setor, o valor arrecadado é cinco vezes maior do que a média registrada nos últimos 12 anos. O Estado do Pará foi o campeão de arrecadação, com R$ 4,8 bilhões. Minas Gerais, apesar dos problemas ocorridos em Mariana e Brumadinho, alcançou o total de R$ 4,6 bilhões em arrecadação.

Itaúna arrecada R$ 13 milhões

Itaúna fica com uma pequena parte dos repasses, pela condição de ser vizinho de município minerador e, por consequência, sofrer os impactos desta indústria. Mas mesmo ficando com uma “pequena parte”, o valor repassado a Itaúna em relação à CFEM foi substancial. Em 2021 o município arrecadou R$ 13.438.875,10, ou seja, mais de R$ 1 milhão, em média, por mês. Este valor, porém, representa quase 6% do que arrecadou o município vizinho de Itatiaiuçu: R$ 229.556.131,97. Para se ter uma ideia de quanto aumentou a arrecadação, o valor de Itatiaiuçu representa mais que 200% do orçamento previsto para 2021, que foi pouco mais de R$ 95 milhões.

Compartilhe esta notícia