COBRANÇAS - Pais criticam atendimento de vans do Programa Conduz

Por Publicado em:15/06/2022 | Atualizado em:29/11/-0001 36

Mais um problema causado pelos péssimos serviços prestados à população pela empresa que tem a concessão do transporte público de passageiros é o Programa Conduz, conforme vereadores itaunenses. E a insatisfação com esse serviço foi demonstrada nesta terça-feira, 14, quando representantes da APAE de Itaúna ocuparam a tribuna da Câmara para “pedir socorro” aos vereadores no sentido de que o serviço seja fiscalizado. O vereador Gleison Fernandes, o Gleisinho, pediu e conseguiu aprovação para que os representantes da APAE de Itaúna pudessem se manifestar na reunião. E, após a ordem do dia, o presidente da APAE, Alex Júnior, e Geovana, mãe de um dos alunos da APAE, falaram sobre o problema.

Conforme as falas, o serviço já não era bem prestado há muito tempo, porém atualmente “está insustentável”, conforme as alegações apresentadas. Das cinco vans que deveriam prestar os serviços, na semana passada apenas uma funcionava, o que deixou várias famílias sem o transporte necessário das pessoas com deficiência, seja para frequentar aulas, ou mesmo para tratamentos médicos, como alguns casos de pacientes que se submetem a hemodiálise, e que dependem deste transporte.
Várias pessoas ocuparam a galeria da Câmara, com faixas que registravam os problemas e o descontentamento das famílias, e para ouvir de vários vereadores que eles vão fazer cobranças à empresa e ao governo municipal para solucionar a questão, que já vem de algum tempo. Alex Júnior colocou em sua fala que a Lei 5.160/2017, aprovada pelos vereadores e apresentada pelo edil Gleisinho, criando o Programa Conduz, vem sendo descumprida desde a troca do órgão que deveria acompanhar a sua aplicação, até a questões básicas, como a necessidade de vistoria nos veículos.

Conforme disse Alex, a lei estabelece que a Secretaria de desenvolvimento Social é que deveria executar o programa, porém esta tarefa estaria entregue ao departamento Municipal de Trânsito. Nos bastidores, os comentários eram de que talvez esta seja até uma medida mais adequada, visto que a titular da Secretaria é esposa do advogado da Viasul, empresa que detém a concessão do transporte público na cidade.
A mãe de um aluno da APAE, o Vitor Gabriel, de 13 anos, de nome Geovana, também falou sobre os muitos problemas e lembrou que a falta de veículos e o acúmulo de tarefas deixa os motoristas sobrecarregados e pressionados. Citou problemas ocorridos com a van que está atendendo o programa – outras estão paradas, devido a problemas mecânicos –, alertando até mesmo para a possibilidade de acidentes. Os vereadores se comprometeram a fazer cobranças mais enfáticas pela melhora na prestação dos serviços. Nos bastidores os comentários eram de que “já passou da hora de se cassar a concessão da Viasul e buscar uma empresa que deseje atender o município com um serviço pelo menos razoável”.

Compartilhe esta notícia