DIVINÓPOLIS - Empresário mata segurança com soco inglês

Por Publicado em:01/10/2021 | Atualizado em:29/11/-0001 100

Um crime chocou a população divinopolitana no último final de semana e repercutiu em todo o estado. Inicialmente as informações são de que um homem, ao ser advertido pelo segurança da festa que era realizada no Parque de Exposições daquela cidade, reagiu com um soco. A pancada teria atingido a traqueia (órgão do sistema respiratório, localizado no pescoço. A função desse órgão é garantir a passagem de ar para que ele atinja os pulmões) da vítima, que caiu desacordada e morreu em seguida. Para desferir o golpe, o suspeito estaria usando um “soco inglês” (arma utilizada para ampliar a potência do golpe).

Ainda ao som da música do ambiente, o suspeito da agressão foi preso por policiais militares, após ter sido contido pelos seguranças da festa, já que, segundo testemunhas, tencionava fugir do local. O “soco inglês” não foi encontrado, apesar de citado em depoimentos de testemunhas. O promotor da festa apontou o autor do soco como problemático, que causa confusões sempre que comparece às festas por ele promovidas. Segundo ainda as testemunhas, o agressor havia sido advertido momentos antes por estar urinando em local inapropriado. Em seguida, novamente o segurança o teria advertido por ele tentar acessar um local a que não estava autorizado. Este seria o motivo da agressão. O autor da agressão, preso no local, é o empresário divinopolitano Pedro Lacerda, de 36 anos. A vítima, Edson Carlos Ribeiro, de 42. O crime aconteceu na madrugada do domingo, dia 26.

As informações no dia seguinte...

Dado à repercussão do caso, os delegados Flávio Tadeu Destro, chefe do 7º Departamento de Polícia Civil em Divinópolis, Cleovaldo Marcos Pereira, delegado regional da 1ª Delegacia Regional de Polícia Civil de Divinópolis, e o Renato Alves da Fonseca, delegado responsável pelas investigações do caso, concederam entrevista coletiva à imprensa para tratar do assunto. As informações são de que a polícia aborda inicialmente o caso como “lesão corporal seguida de morte”, o que é punido com pena de 4 a 12 anos de reclusão. A justificativa para esta abordagem está no fato de que os depoimentos de testemunhas são contraditórios e não foi apreendida arma que teria sido utilizada para o crime.
O suspeito, apontado como autor da agressão, Pedro Lacerda, nega que tenha agredido a vítima. Ele permanecia preso. Populares se manifestam pelas redes sociais, cobrando punição severa ao autor da agressão. Pedidos a pessoas que possam ajudar a clarear os fatos, como informações acerca do “soco inglês” que teria sito utilizado, são feitos também pelas redes sociais. Falas apontando a agressividade de Lacerda são várias.

Compartilhe esta notícia