Coluna do Atlético

Estamos chegando ao fi nal de 2018, um ano que, para mim, em todos os sentidos, não foi bom como esperava ser no final de 2017

Estamos chegando ao fi nal de 2018, um ano que, para mim, em todos os sentidos, não foi bom como esperava ser no final de 2017. Como aqui nesta “calúnia” respira Galo Mineiro, falaremos que, a exemplo de 2017, não ganhamos nem mesmo o pobre Rural Mineiro, a culpa é certa, foi dos homens do apito, já que em 2017 o tal Vuaden chegou a marcar um pênalti a nosso favor, mas o auxiliar inventou um impedimento que ninguém marcaria. Em 2018 foi o Luiz Flávio de Oliveira que expulsou o Otero e não fez o mesmo com o Edilson, jogador do oponente. Para 2019, com a confi rmação do Marques como diretor de futebol e as possíveis contratações pontuais prometidas pelo presidente Sete Câmara, as coisas devem melhorar. Dos 11 jogadores nossos emprestados, apenas três ainda têm vínculo com o clube, são eles Danilo Barcelos, Alex Alves e Dodô. O duro é que o Maidana deve ir para a Roma da Itália, e o Leonardo Silva renovar por mais um ano (sic). Vão aqui os melhores do Brasileirão/2018, em minha opinião (sic): Júlio César (Flu); Emerson (Galo); Joel Carlo (Focão); Kaneman (Grêmio); Diego Barbosa (Palmeiras); Rodrigo Dourado (Inter); Bruno Henrique (Palmeiras); Dudu (Palmeiras); Paquetá (Fla); Gabigol (Santos); Everton (Palmeiras). Arbitro: Daronco. Revelação: Pablo (Atlético Paranaense). Técnico: Odair Hellman (Inter). Na próxima quarta-feira, 18, completa 47 anos da conquista do 1º e único verdadeiro Campeonato Nacional, com o lendário gol do Dário contra o Botafogo no Maracanã. Apocalipse 3,20 “Eis que estou à porta e bato: se alguém ouvir a minha voz e me abrir a porta, entrarei em sua casa e oraremos, eu com ele e ele comigo”. Boas festas em Jesus!

Avalie este item
(0 votos)

Compartilhe esta notícia