Coluna do Cruzeiro

Por Publicado em:05/09/2019 | Atualizado em:05/09/2019 282

O Cruzeiro da era Rogério Ceni, de uma certa forma, tem agradado a torcida. Sempre foi uma característica do time jogar para frente, com toques rápidos, e tinha até uma frase famosa que dizia: “Rápido e rasteiro que nem a linha do Cruzeiro!”. É realmente é a nossa característica, está no DNA do Cruzeiro, porém penso que o Rogério deve ir um pouco mais devagar, afinal, não se consegue mudar a estrutura tática de um time da noite para o dia. Ele deveria aproveitar o trabalho deixado pelo Mano, pois, afinal, e apesar dos maus resultados do final do seu trabalho, ele deixou um legado e um time montado. Então é melhor ser prudente, pelo menos de início, o time parece estar um pouco melhor e demonstrando mais vontade, e isso é normal, e em todo início de trabalho acontece isso. Resta saber se terá continuidade na luta para pontuar no Campeonato Brasileiro.


Nosso time conseguiu uma “goleada” sobre o Vasco, digo goleada porque 1X0 nos deu os tão necessários 3 pontos. A vitória aliviou a situação, pois o Cruzeiro se distanciou um pouco dos quatro últimos da tabela... Temos que levar em conta que o Vasco não é lá essas coisas, mas está fazendo uma campanha razoável. Aí, no meio da semana veio o desastre. Perder para o Internacional, em Porto Alegre, e ser eliminado da Copa do Brasil é um resultado que pode acontecer com qualquer time, e um exemplo é o do Grêmio, que mesmo tendo vencido o Atlético Paranaense por 2X0, em Porto Alegre, foi eliminado em Curitiba. Mas se o Rogério não tivesse alterado tanto o time quanto à forma de jogar ,tínhamos chances de voltar classificados.


Mas agora é dar a volta por cima e conseguir um bom resultado diante do Grêmio, amanhã, no Mineirão. Saudações Celestes.

Avalie este item
(0 votos)
Última modificação em Quinta, 05 Setembro 2019 19:44

Compartilhe esta notícia