Coluna do Cruzeiro

Por Publicado em:10/01/2020 | Atualizado em:29/11/-0001 48

Nos primeiros dias de janeiro o Cruzeiro completou 99 anos de fundação e, infelizmente, a comemoração do aniversário não foi como nos anos anteriores. Esse 2019, com certeza, foi o pior ano da nossa história. Não posso dizer que não temos nada a comemorar, afinal, o Cruzeiro é, sim, um glorioso, porque o que define se um time é glorioso ou não são seus títulos, não adianta apenas uma torcida ficar dizendo que seu time é “grorioso”. Isso não basta. Só para termos uma noção da grandeza do Cruzeiro, das últimas três Copas do Brasil, o Cruzeiro é campeão de duas! E também não podemos nos esquecer da Libertadores e dos Brasileiros... e por aí a fora...!
Mas, infelizmente, a nossa dura realidade é outra, por incompetência, desonestidade, vaidade e um monte de outras coisas, chegamos ao fundo do poço. Agora só nos resta ficar incondicionalmente ao lado do Cruzeiro, porque é justamente nessa hora que uma torcida mostra o seu valor e o nosso apoio, com certeza, o Clube terá. Uma prova disto é que na última quinta-feira a torcida lotou a loja oficial do Cruzeiro para comprar a nova camisa.
Nossa maior esperança estava no “grupo de notáveis” que assumiu inteiramente o Clube há 15 dias, até que fossem realizadas novas eleições. Mas infelizmente, a nossa alegria durou pouco. Esse grupo que contava com nomes de peso, como o de Vitório Mediolli e Pedrinho do Supermercado BH, que são todos empresários competentes e bem-sucedidos, não suportou a bagunça e a pressão e já abandonou o barco. Voltamos à estaca zero. Tomara que as coisas tenham um rumo rápido e uma nova diretoria consiga reconduzir o Cruzeiro ao seu lugar de direito, que é a série A do Campeonato Brasileiro!
Como a situação está muito difícil, esta semana o Cruzeiro mandou cerca de 80 funcionários embora, com certeza é uma medida acertada, mas com uma ressalva: pessoas como o Raul Plasmam teriam que ter um tratamento diferenciado pelo seu caráter e principalmente pelo seu passado no Clube. Saudações Celestes.

Avalie este item
(0 votos)

Compartilhe esta notícia