Baballo volta à Santanense após dois anos

Por Publicado em:31/01/2020 | Atualizado em:31/01/2020 241

O costume de homens vestirem-se de mulheres no carnaval de Itaúna já foi tema de blocos em diferentes bairros da cidade, quando essa variação da festa era realizada uma semana antes dos dias oficiais de carnaval e com o apoio da administração municipal.

Agora, tentando recuperar a tradição de carnaval de bairros, cujo apoio do poder público hoje é direcionado apenas para o Pau de Gaiola, na Lagoinha, grupos de amantes da folia estão se organizando. Como no bairro Santanense, em que a Associação de Moradores e um grupo de 12 pessoas estão à frente do Baballo, preparando o retorno do bloco no local para o dia 19 de fevereiro, entre as 18h e 00h, na Avenida Magalhães Pinto.

Segundo os organizadores, a confirmação da festa depende da liberação do alvará pelo Município. Para isso foi feito, através da associação, o pedido de isenção da taxa, além de cumpridas as exigências necessárias, como o pedido de apoio da Polícia Militar e inspeção do Corpo de Bombeiros no trio elétrico e estrutura na via.

O Baballo retorna ao carnaval após três anos de paralização, a última edição aconteceu em 2016. O grupo também busca patrocínios para o abadá, que será vendido em breve. Mais informações pelo telefone (37) 998669964 (Luiz de Santanense).


Modificações na Avenida

De acordo com a Gerência Superior de Cultura, ainda não está totalmente definida a situação dos blocos que vão desfilar na Avenida Jove Soares. Como a FOLHA divulgou na última semana, o bloco Deu no que Deu decidiu não participar e o Vem que Vem também anunciou a sua desistência na última quinta-feira, 30.

O motivo, segundo comunicado do bloco, é que “o formato atual do carnaval não oferece benefícios para aqueles que são fiéis e compram o abadá, pois não existe uma comodidade e nem uma estrutura”, e o custo gira em torno de R$ 50 mil.

A participação dependia do aval da prefeitura para o projeto de patrocínio e benefícios para os participantes criado por um grupo de blocos e apresentado por eles à Administração Municipal.

Conforme afirmação da Gerência de Cultura, a prefeitura teria aceitado a proposta e iria anunciar as mudanças em breve.

Porém, o bloco afirma que não chegou a um acordo. Em relação ao Baballo, também foi afirmado pela Gerência que o apoio será apenas por meio da concessão do alvará.

Última modificação em Sexta, 31 Janeiro 2020 17:44

Compartilhe esta notícia