EMPREGOS - Itaúna mantém média positiva

Por Publicado em:28/05/2021 | Atualizado em:28/05/2021 80

Cidade teve maior número de vagas criadas dentre os principais municípios da região Centro-Oeste

Mesmo com a desaceleração que ocorreu em todo o Estado, Itaúna foi destaque na geração de novas vagas de emprego na região Centro-Oeste. Com 100 novos empregos gerados, o município ficou à frente de Formiga, Bom Despacho, Oliveira e Pará de Minas, que também apresentaram saldos positivos. Divinópolis e Nova Serrana, por sua vez, mostraram saldo negativo, impactando para baixo a geração de novas vagas no Centro-Oeste mineiro. O Brasil teve aumento no número de desempregados, mesmo com a criação de 120,9 mil novas vagas. Neste mês o desemprego no País alcançou o índice de 14,7%, com quase 15 milhões de desempregados. O primeiro quadrimestre de 2021 é o pior desde 2012, segundo o IBGE, em termos nacionais.
Em Itaúna a área que mais gerou novas vagas foi a construção civil, com 61 empregos. Em seguida vem a indústria, que gerou novos 21 empregos. O comércio ficou com a terceira posição, gerando 18 novas vagas, e o setor agropecuário vem em seguida, com 4 novos empregos. O único setor que apresentou saldo negativo em abril foi o de serviços, que perdeu 4 vagas. Nos quatro primeiros meses de 2021 Itaúna já gerou 916 novos empregos, com média de 238 novos empregos criados a cada mês deste ano.
No total Itaúna tem 25.418 pessoas empregadas com carteira assinada, conforme os dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) do Ministério da Economia. Esse número representa que 27.08% da população estimada de Itaúna trabalha com carteira assinada.

Números da região

Divinópolis e Nova Serrana apresentaram números negativos neste mês de abril. A maior cidade da região teve saldo negativo de 208 empregos perdidos. Já Nova Serrana, a segunda em população, teve saldo negativo de 1.443 empregos perdidos no mesmo período. Apresentaram saldo positivo as cidades de Formiga (+89), Bom Despacho (+36), Oliveira (+36) e Pará de Minas (+16).
O Brasil, no geral, apresentou saldo positivo, porém com a pior performance do ano. Foi fechado o mês com saldo positivo de 120,9 mil vagas. Dessas, 13.492 geradas em Minas Gerais. Porém a questão do desemprego mostrou piora, com aumento do índice de desempregados de 13,9% para 14,7%, o pior resultado desde 2012. São quase 15 milhões de desempregados em todo o País. Somente em Minas Gerais o IBGE registra 1,5 milhão de desempregados.

Última modificação em Sexta, 28 Mai 2021 14:10

Compartilhe esta notícia