Ainda Amarela - Governo mantém Itaúna na mesma posição no Minas Consciente

Por Publicado em:23/07/2021 | Atualizado em:29/11/-0001 116

Índices de contágio caíram em todo o estado e a progressão para a Onda Verde está próxima, garantem especialistas em saúde pública

Ainda não aconteceu a progressão de Itaúna e macrorregião para a Onda Verde do Minas Consciente, mas as notícias são boas e a expectativa é de que a tão esperada progressão de onda está próxima. Conforme os técnicos do Minas Consciente (MC), houve redução na incidência da Covid-19 (contágios), de 11% em média em todo o Estado. Também reduziu consideravelmente a ocupação de leitos de UTI. Conforme a SES-MG (Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais), nesta semana a espera por leitos de UTI estava em 64 pacientes, sendo que na semana anterior esse número era de 70 pessoas, com queda próxima dos 10% em 7 dias. Conforme o secretário de Estado de Saúde, Fábio Baccheretti, “não há mais pressão por vagas nas macrorregiões. Essa espera está caindo semanalmente e é o cenário mais positivo, com pressão muito baixa por leitos e redução na ocupação”, disse.
Em Itaúna, na quinta-feira, 22, a lotação do CTI Covid do Hospital era de 50% da capacidade instalada, menos do que os 58% observados em Minas. Há mais de 15 dias que o índice de contágio em Itaúna baixou da média de 60 casos/dia para menos de 30, com redução no índice de contágios de mais de 50%. Outro fato observado é que há mais de uma semana que não se registram óbitos por Covid em Itaúna. Com a melhora nos índices, os técnicos do MC mantiveram a macrorregião Oeste na Onda Amarela, o que permite que Itaúna permaneça no mesmo estágio da semana passada.
Cirurgias eletivas: governo vai publicar resolução

A assessoria do Governo do Estado divulgou que, em relação às cirurgias eletivas, “uma resolução da Secretaria de Estado de Saúde será publicada sobre o tema, assim como a Deliberação do Comitê Extraordinário Covid será alterada”. Para os casos dos hospitais privados que não recebem recursos públicos, as cirurgias já estão liberadas. Para a rede SUS, “essa retomada poderá ocorrer no momento em que se comprovar estoque de pelo menos 30 dias do chamado kit intubação”.
Explicou ainda a assessoria que “a suspensão das eletivas foi determinada devido à pressão por leitos de UTI e pelo baixo estoque do kit intubação em todo o país, com a consequente dificuldade de acesso a esses medicamentos. A preocupação atual é em relação aos atrasos que a pandemia gerou neste tipo de cirurgia”.

Compartilhe esta notícia