Mineração - Arrecadação da CFEM dobra no primeiro semestre

Por Publicado em:23/07/2021 | Atualizado em:29/11/-0001 134

Valores da produção mineral no primeiro semestre de 2020 foram de R$ 75,3 bilhões e em 2021, R$ 149 bilhões

O IBRAM – Instituto Brasileiro de Mineração divulgou relatório em que informa que a produção mineral do Brasil cresceu 98% no primeiro semestre deste ano em relação a igual período do ano passado. Conforme essa informação a arrecadação com a mineração no País, comparando o primeiro semestre deste ano com o primeiro semestre do ano de 2020, passou de R$ 75,3 bilhões para R$ 149 bilhões. Com isso a arrecadação da CFEM também dobrou no período.
Minas Gerais é o estado em que mais municípios recebem repasses da CFEM – Contribuição Financeira pela Exploração Mineral, em um total de 482, dos 853 municípios mineiros. Segundo ainda o relatório do Ibram, o aumento na produção foi puxado pelo minério de ferro, que nos primeiros seis meses este ano somou R$ 107,5 bilhões, com aumento de 135% em relação ao valor da produção no mesmo período de 2020, que alcançou a cifra de R$ 45,8 bilhões. Em seguida, a produção de ouro e na terceira colocação, o cobre.
O presidente do Conselho Diretor do Ibram, Wilson Brumer, afirmou o crescimento no valor da produção mineral afirmando que “de uma maneira geral, as commodities vêm sofrendo um aumento de preços. Alguns com uma certa estabilidade. Mas, ao mesmo tempo, comparado com o ano passado, essa combinação de preço de dólar leva a esse faturamento bastante expressivo”, destacou.
O valor de comercialização da tonelada de ferro, por exemplo, teve aumento de 101,5% no período, passando de US$ 91,04 para US$ 183,43. Também informa o Ibram que o ´preço médio do cobre aumentou em 65,8% e de níquel e alumínio subiram, respectivamente, 41,5% e 41,0%.

CFEM teve aumento de 111,7% na arrecadação

A Contribuição Financeira pela Exploração Mineral, segundo o presidente-executivo do Ibram, Flávio Penido, mais do que dobrou no primeiro semestre de 2021, chegando a um valor de R$ 4,48 bilhões, informou o Instituto. E acrescentou que o crescimento maior na arrecadação foi em Minas Gerais (+134%), o que é atribuído por Penido à retomada de algumas operações que estavam suspensas. O estado do Pará, por sua vez, registrou um crescimento de 106% na arrecadação, seguido por Bahia, com 51% e Goiás (48%).
Quanto a outros tributos e taxas, o Ibram informa que houve um aumento de 98% de arrecadação no período, passando de R$ 23,9 bilhões para R$ 46,9 bilhões. Já o número de empregos diretos no setor aumentou de 174.647, no início de 2020, para 192.006 até maio de 2021. (Com informações de Brasil61)

Compartilhe esta notícia