CRÍTICAS AO TRANSPORTE COLETIVO - Autotrans tem serviço questionado na Câmara

Por Publicado em:05/09/2019 | Atualizado em:29/11/-0001 584

Vereadores falam sobre os muitos problemas e Anselmo aponta falhas nas vans do porta-a-porta

A empresa Autotrans mais uma vez recebeu várias críticas na reunião da Câmara. Vereadores como Giordane Alberto, Silvano, Márcio Hakuna, Hudson Bernardes, Antônio de Miranda e Anselmo Fabiano e o presidente Alexandre Campos se revezaram nas muitas críticas aos serviços prestados pela concessionária de transporte coletivo da cidade. Os dois mais críticos foram Márcio Hakuna e Anselmo Fabiano. O primeiro falou das atitudes da empresa, afirmando que “não adianta (a empresa) subestimar esta Casa”, ao informar que, quando da instalação da Comissão de Investigação da Câmara para avaliar o contrato da empresa, a mesma mudou de razão social, passando a responder como Viasul e não mais como Autotrans. E foi além, dizendo que “se o prefeito Neider quiser resolver a situação, nós daremos todo o amparo”.

Já Anselmo Fabiano exibiu vídeo e fotografias que mostram os muitos problemas do serviço porta-a-porta executado por vans da empresa. Segundo ele, as vans deveriam ser 5 e têm apenas 3 circulando, “estão sucateadas, atrasam o atendimento em 40 minutos, uma hora, causando muitos problemas para os usuários, que chegam atrasados à escola ou aos procedimentos médicos que realizam”. Mostrou como deveriam ser as vans que prestam o serviço, conforme o contrato feito à época da implantação do porta-a-porta e como estão os veículos atuais, com gambiarras e sem segurança. Afirmou mais uma vez que vai levar as reclamações adiante, “onde for necessário”, sugerindo que até o MP pode ser acionado para que a empresa preste o serviço que foi conveniado. “Não vamos aceitar a situação como está atualmente, vamos buscar todos os meios para cobrar os direitos dos usuários”, finalizou Anselmo Fabiano.

Compartilhe esta notícia