DENÚNCIA - Neider “enrolado”

Por Publicado em:07/02/2020 | Atualizado em:07/02/2020 264

Câmara recebe pedido de CPI contra prefeito. Justiça já investiga obras de asfaltamento na cidade e acusação é de superfaturamento

Com o plenário recebendo bom público, convocado pelas redes sociais com a promessa de denúncias, o ex-assessor da vereadora Otacília Barbosa, Thiago Aníbal, cumpriu com a promessa. Denunciou a existência de “rachadinha” na Casa (veja matéria nesta edição) e também apresentou o pedido para a instalação de uma CPI – Comissão Parlamentar de Inquérito, para apurar denúncias de superfaturamento na contratação de asfaltamento da Prefeitura. Com um pacote de documentos em mãos, o namorado e ex-assessor de Otacília discorreu sobre o pedido de CPI que denuncia superfaturamento no contrato feito com a Terramares no valor de R$ 3,7 milhões.

O contrato com a empresa, feito por adesão à ata, já é objeto de investigação em ação civil pública ajuizada pelo MP – Ministério Público contra o prefeito Neider e secretários, corre em segredo de justiça e, agora, o pedido é para que a Câmara instaure a CPI para também apurar o caso. Conforme afirmou o denunciante, que alegou ser engenheiro, pode existir superfaturamento na contratação, já que, segundo sua denúncia, “existia contrato à época com a Prefeitura, no valor de R$ 250 a tonelada de asfalto. Aí a adesão à ata foi pelo valor de R$ 340”. Disse ainda que, em menos de seis meses, a Prefeitura fez pedido à empresa para que fosse solicitado o aditamento no contrato, passando o valor da tonelada para R$ 429. Um aumento de quase 70% no preço que era pago em outro contrato pela Prefeitura.

O denunciante também questionou o fato de a Mesa da Câmara não ter feito a leitura do pedido na reunião da terça-feira, dia 4, apesar de ter sido protocolado em tempo hábil, conforme determina o Decreto 201/67. A leitura deve ser feita na próxima reunião ordinária do Legislativo, conforme alegou o presidente da Mesa, Alexandre Campos, o que “dá tempo ao prefeito de conversar com os vereadores que o apoiam, para travar o andamento da CPI”, conforme reclamação de vereadores oposicionistas.

Prefeito reuniu com a base nesta semana

A reportagem da FOLHA recebeu informações, não oficiais, de que o prefeito Neider reuniu os vereadores da base, nesta semana, em seu gabinete, após a apresentação da denúncia, onde teria sido tratada a estratégia do grupo para a próxima reunião dos edis. Ainda conforme essas informações, o neidista Lucinho de Santanense deixou de fazer uma viagem que já estava programada para Brasília, para que possa ajudar no quórum de possível rejeição do pedido de CPI.

Nos bastidores os comentários são de que a oposição pode contar com os votos de Marcinho Hakuna e Da Lua, que estão em rota de colisão com o prefeito e que devem formar chapa para disputar a Prefeitura em outubro. A oposição conta com os votos das três vereadoras (Otacília, Gláucia e Márcia), Lequinho, Tõezinho, Joel e Iago (que sempre vota a favor de CPIs, em uma posição coerente), chegando a 7 votos. A situação tem, certo, os votos de Hudson, Lacimar, Lucinho, Silvano, Gleisinho, Anselmo e Alexandre Campos, o que dá, também, 7 votos.

São incógnitas Giordane, Da Lua e Marcinho Hakuna. Quem obtiver os votos destes três precisará cooptar ainda mais um voto no campo “inimigo”, assim, dificilmente a CPI será aprovada, a não ser que o grupo ligado ao prefeito resolva aceitar a investigação com a certeza de que Neider será inocentado e, assim, tenha um “atestado de honestidade” que pode reforçar sua campanha à reeleição.

Última modificação em Sexta, 07 Fevereiro 2020 19:16

Compartilhe esta notícia