CÂMARA - “Plenário da Rachadinha”

Por Publicado em:07/02/2020 | Atualizado em:07/02/2020 208

O clima na Câmara de Itaúna está tão carregado que pode “ser cortado com faca”, como comentou um cidadão que frequenta a casa habitualmente. Outro argumenta que “este mandato já acabou”, para definir o que pode ser notado no dia a dia do Legislativo, principalmente no transcorrer das reuniões. O regimento não é respeitado, as regras de civilidade e educação muito menos.

E a direção da Casa já há muito perdeu o pulso para colocar as coisas em ordem. Esta é a análise que se pode fazer dos últimos meses naquela casa e do início deste ano, no mesmo rumo.

Com isso, denúncias devem ocupar a ordem do dia a cada encontro semanal. E na última reunião, ocorrida na terça-feira, 4, o denunciado foi Lacimar Cesário.

O ex-assessor e mais conhecido como “namorado da Otacília”, Thiago Aníbal, fez a denúncia de que o vereador Lacimar Cesário exigiu de uma assessora a devolução de parte do salário em retribuição ao emprego, no que se conhece como “rachadinha”.

Disse o denunciante que tem provas do ocorrido e que a denúncia já foi encaminhada ao Ministério Público – MP. Ao final da denúncia, pediu que os vereadores investiguem o caso e que punam o colega, caso sejam comprovados os fatos narrados.

Nos bastidores, a partir de então, começaram a surgir comentários sobre outros casos que não deixariam o Lacimar sozinho na situação.

Um vereador teria contratado um assessor e contraído empréstimo em nome do mesmo, só que as prestações do referido empréstimo foram descontadas no salário do assessor e o vereador é quem ficou com o dinheiro da operação.

Outro é acusado de ter mantido assessor nos quadros da Casa por alguns anos, e que o salário do mesmo era “dividido” com o edil. Outro caso aponta a contratação de funcionário em uma autarquia, a pedido de vereador, e este devolvia parte do salário ao edil.

Vários outros casos comentados e até nomes são citados, mas tudo “à boca-miúda”, como é dito nos meios políticos.

Lacimar fala sobre denúncia

Ouvido pela FOLHA, o vereador Lacimar Cesário disse que “estou à disposição para quaisquer esclarecimentos à Justiça ou a quem de direito”.

Ele nega a prática de rachadinha e alega que teve vários assessores em seu gabinete, que nunca teve qualquer problema como este e que entende que o caso da assessora que o acusa tem caráter individual. Alegando que no momento certo vai poder provar que se trata de retaliação política e que a assessora está sendo usada. “É ano eleitoral e muitas coisas surgem, temos de ter tranquilidade para resolver esses problemas. Eu tenho a consciência tranquila de que não cometi esse ato do qual sou acusado”, arrematou.

Quanto a outra denúncia que está sendo veiculada nas redes sociais acerca de “furar fila do SUS”, disse que só tomou conhecimento pelas redes sociais e que não tem como falar mais detidamente sobre o caso.

“Meu gabinete atende muitas pessoas e quando surgem os problemas, atuo no sentido de ajudar. Vou ver do que se trata e dar as respostas necessárias, no momento certo”, disse.

Última modificação em Sexta, 07 Fevereiro 2020 19:18

Compartilhe esta notícia