Folha Entrevista - Alessandro Tomaz fala de suas propostas

Por Publicado em:10/10/2020 | Atualizado em:09/10/2020 183

A FOLHA começa nesta semana uma série de entrevistas com os seis candidatos à Prefeitura de Itaúna neste ano. Serão realizadas 5 perguntas a cada um deles, versando sobre os temas Educação, Saúde, Emprego e Renda, Infraestrutura Urbana e sobre a expectativa para o próximo ano em relação à pandemia do novo coronavírus. A série seguirá a ordem alfabética dos nomes dos candidatos, conforme registrado no TRE-MG, e será realizada via telefone.

O primeiro candidato a falar é Alessandro Tomaz, candidato pelo DC (Democracia Cristã), 27, pela coligação que ainda reúne PTC e Solidariedade. Confira as respostas do candidato:

FOLHA – Qual é sua proposta para a área da educação?

Alessandro Tomaz – Minha principal proposta é tornar a educação diretamente ligada às famílias. A educação tem que interagir junto com a família, a partir da casa de cada criança, de cada cidadão, de cada pessoa. Implantar também (no currículo escolar) a educação financeira. Acho que é de grande importância a criança crescer já sabendo o valor monetário do dinheiro.

FOLHA – Para a área da saúde, qual é a proposta?

Alessandro Tomaz – Primeiramente, de imediato, eu gostaria de construir a UTI (Unidade de Tratamento Intensivo) neonatal, para que não tenhamos nenhuma perda de vida no nosso município, mesmo que a demanda seja pequena, eu quero que ela seja zero. E implantar também o SAD (Sistema de Atendimento Domiciliar), que já funciona em algumas cidades vizinhas, pois acredito que o enfermo tem melhor recuperação estando junto com a família. Necessitamos de uma UPA (Unidade de Pronto Atendimento) pra Itaúna, tendo em vista que todas as cidades da nossa região foram contempladas com essa verba do Governo Federal. Eu não sei por que em Itaúna não se construiu uma grande UPA.

FOLHA – Em relação à geração de emprego e renda em Itaúna, quais são suas principais propostas?

Alessandro Tomaz – A primeira coisa que eu penso é o fortalecimento das empresas já existentes. Primeiro precisamos valorizar o que nós temos, precisamos unir com os empresários e comerciantes da cidade em busca da melhor solução para o fortalecimento e crescimento do setor, aumentando, assim, a geração de emprego na cidade. Esse é um dos primeiros passos que propomos para essa área. Também vamos buscar recursos para que a nossa matéria prima, a grande riqueza que nós temos na nossa região, que é a extração de minério. Nós somos ricos, muito ricos, em matéria prima, e nós queremos atrair empresas para que venham beneficiar essa matéria prima, ao invés de só extrair e exportar, que ela (a matéria prima, no caso o minério) seja beneficiada aqui também e, perante a isso, capacitar, qualificar a nossa mão de obra para atender à demanda dessas empresas, gerando lucro para as empresas, gerando economia para a cidade e gerando empregabilidade.

FOLHA – Quais suas propostas para a área de infraestrutura urbana?

Alessandro Tomaz – Vejo a infraestrutura urbana de Itaúna muito boa. Se nós compararmos com as cidades vizinhas (vamos ver que) a infraestrutura urbana de Itaúna é uma das melhores. Possuímos saneamento básico, precisamos apenas dar conclusões às obras de finalização da Estação de Tratamento de Esgoto – ETE. Nós temos água tratada em todo o município, e o que eu acho que falta é um planejamento, onde as obras de capeamento (asfalto) só sejam realizadas quando a infraestrutura estiver toda regulamentada, quando as captações pluviais estiverem concluídas, quando as ligações de água pendentes ou que ainda faltam estejam já ligadas, para que a gente não invista um dinheiro em pavimentação e no dia seguinte estejamos rasgando novamente as vias para fazer as ligações. Então, isso é planejamento. Eu acho que nesta área o que falta mesmo é planejamento.

FOLHA – Estamos em uma situação de pandemia e no próximo mandato não sabemos ainda se já teremos a vacina para esta doença. Assim, é preciso saber: quais são as perspectivas para iniciar uma administração municipal com os problemas gerados pela pandemia, ou pela pós-pandemia, a serem enfrentados?

Alessandro Tomaz – Vamos precisar fazer uma análise muito criteriosa do momento. Se esse momento não nos for favorável, teremos de entrar diretamente no combate ao vírus, porque uma das prioridades do meu governo é salvar vidas. Não pretendo, em momento algum, administrar a cidade para mortes. O problema que eu vejo é a necessidade de estabelecer uma igualdade para todos. Nós tivemos aí decisões da atual administração de abrir uns comércios e fechar outros. Eu não vejo diferença entre o contato de um tipo de comércio e outro, pra mim, todos os comércios são iguais, todos os comércios estabelecem o mesmo contato. Todos os comércios podem se manter abertos, desde que atendam às devidas prevenções. Então, o fato de se abrir, como exemplo, o comércio de uma loja e fechar um restaurante pra mim não é isonomia, o restaurante tem total direito de trabalhar o comércio como um outro. O que a administração fez foi fechar os bares e restaurantes e manter o comércio livre, os de móveis, roupas, por exemplo. E aí o que aconteceu foi um abalo na economia desses comerciantes. E muitos deles estão fechando as portas. Então, ele (a administração) nem priorizou o combate à pandemia, nem a economia, ficou no meio termo, acho que ele se perdeu, precisa ter uma decisão mais firme. E a solução pra isso seria criar um painel de vendas on-line, já que o comércio precisa se manter aberto para movimentar a economia. Isso já existe, o painel on-line. Se é preciso manter o funcionamento e combater a pandemia, essa seria a solução, investir em uma proposta como esta.

Última modificação em Sexta, 09 Outubro 2020 14:11

Compartilhe esta notícia


Warning: preg_match(): Unknown modifier '/' in /home/storage/d/52/6b/folhapovoitauna1/public_html/plugins/system/cache/cache.php on line 217