Vale a pena sacar o FGTS?

Por Publicado em:25/07/2019 | Atualizado em:25/07/2019 1063

Governo divulga regras e plano se transforma em “traque molhado” na expressão dos críticos

Para quem está endividado e desejava quitar o débito e está com valor atrasado na média nacional (em torno de R$ 3 mil) o saque do FGTS só atenderá se o saldo na conta for acima de R$ 10 mil e, mesmo assim, só no ano que vem. A não ser que o trabalhador tenha saldo em no mínimo 6 contas. Isso mesmo, pois a liberação que começa a valer entre o próximo mês de agosto, até março de 2020 é de R$ 500 por conta. No caso de quem precisa de R$ 3 mil para colocar suas contas em dia terá que sacar em 6 contas diferentes.
O limite liberado representa 50,10% do salário mínimo atual que é de R$ 998. A previsão do governo é colocar R$ 42 bilhões na economia nacional até o final de 2020. As expectativas são de que esse volume de dinheiro possa provocar melhora no perfil econômico do País que vivencia tempos de muita crise. Além do saque de R$ 500 liberados agora a medida do governo tem mais opções, como o saque-aniversário.

Saque-aniversário
precisa de muita avaliação

Além dos R$ 550 de saque permitidos agora, foi instituído o saque-aniversário que atende a sete faixas de valores. Estes saques poderão ser feitos no mês de aniversário do trabalhador, a partir de 2020. Para a conta que tem saldo de até R$ 500 será liberado até 50%, ou seja, até R$ 250. A segunda faixa atinge as contas com saldo de R$ 500,01 até R$ 1 mil e permitirá saque de 40%, mais R$ 50, chegando ao total de R$ 450. Para a terceira faixa, das contas que têm saldo de R$ 1.000,01 até R$ 5 mil, será liberado saque de até 30% mais R$ 150, alcançando total de R$ 1.650,00.
Para a quarta faixa, contas com R$ 5.000,01 a R$ 10 mil, será liberado saque de 20%, mais R$ 650, chegando a R$ 2.650,00. Na quinta faixa, de R$ 10.000,01 a R$ 15 mil, será liberado saque de 15% mais R$ 1.150, alcançando total de R$ 4.400,00. Na sexta faixa, para contas de R$ 15.000,01 a R$ 20 mil de saldo, saques de 10% mais R$ 1,9 mil, alcançando R$ 3.900,00. E para a sétima faixa, contas com saldo a partir de R$ 20.000,01 em diante, calculamos para saldo de R$ 25 mil, são liberados 5% mais R$ 2,9 mil com total de R$ 4.150,00.
Porém com o saque-aniversário, caso o trabalhador saque o permitido ele não poderá sacar o total de sua conta caso seja demitido sem justa causa, como ocorre hoje. E pra voltar a ter esse direito ele deve ficar dois anos sem sacar nada. Outra condição colocada pelo governo na medida é que o saldo das contas do FGTS poderão ser dados como garantia de financiamentos junto às instituições bancárias. Neste caso é necessário muita cautela, pois os juros desse tipo de negociação são muito altos.
A medida gerou comentários positivos, principalmente de trabalhadores que afirmam que os R$ 500 serão “muito benéficos”, neste momento de crise. E também negativos, por parte dos críticos, que apelidaram a medida de “traque molhado” em alusão à falta de praticidade apontada, já que o valor não ultrapassa 15% da dívida média do brasileiro que gra em torno de R$ 3.252,70, segundo estudos apresentados em junho passado. Portanto, é preciso pensar muito antes de sacar o dinheiro, alertam as duas partes.

Última modificação em Quinta, 25 Julho 2019 18:16

Compartilhe esta notícia