A Voz do Povo

A Voz do Povo (26)

Propaganda malfeita!

Publicado em: 13/05/2022

Um cidadão encaminhou uma reclamação à coluna um pouco diferente das usuais, que focam em problemas de infraestrutura, mas que tem, sim, razão. A reclamação é sobre uma divulgação feita pela assessoria da Prefeitura, na conta do Instagram oficial da entidade. Nele, divulgando uma imagem de arquivo, é feita propaganda relativa ao “Maio Amarelo”, que trata da segurança no trânsito. O problema apontado pelo reclamante é que a imagem ilustrativa da mensagem mostra um casal usando capacete e óculos escuros, montados em uma moto, mas o tipo de capacete usado é proibido pela legislação de trânsito brasileira. Conferimos e, realmente, o modelo “coquinho” não é permitido pela legislação, pois, conforme especialistas, não garante proteção aos motociclistas. A crítica é no sentido de que “uma propaganda oficial da Prefeitura deveria ter o mínimo cuidado para que não divulguem erros como esse”, disse o reclamante. “Os erros de grafia, de concordância, de redação, já são muito feios para um pessoal que trabalha com a nossa língua como principal ferramenta. Agora, fazer uma propaganda de segurança no trânsito com imagem mostrando equipamento proibido pela legislação nacional é o cúmulo da incompetência”, resumiu o reclamante. Com a palavra os responsáveis.

ONG age para salvar cavalo ferido - E quando se tem sucesso na reclamação também é preciso mostrar: a AIDA – Associação Itaunense de Defesa Ambiental agiu rápido e conseguiu socorro para um cavalo que está com a pata quebrada, na comunidade dos Batatas, zona rural de Itaúna. Membros da associação estiveram no local e fizeram um vídeo mostrando o animal ferido e denunciando o fato. A Prefeitura foi procurada e a resposta foi de que nada poderia fazer, pois o animal tinha tutor. Também o MP foi contatado.
Foi buscado socorro junto a veterinários da cidade e, ao conferir a situação do animal, mais uma vez, os donos do bicho já estavam lá, socorrendo o animal, tratando dele, medicando, dando comida... isso porque o vídeo divulgado (inclusive na FOLHA online) teve grande repercussão. No dia seguinte à visita, um veterinário compareceria ao local para fazer um diagnóstico de possível tratamento, mais infelizmente tiveram que realizar a eutanásia no animal
A AIDA agradeceu aos veículos de imprensa que repercutiram a causa, aos veterinários que sempre socorrem a entidade, à vereadora Edênia, que disponibilizou ajuda para o socorro, e à população, que, mais uma vez, apoiou as boas causas. 

Mato cresce na cidade toda... - É o que reclamou uma cidadã à coluna, citando várias vias por onde ela passou e em que o mato está crescendo. Disse ela que “já estamos no meio do ano, o período das chuvas vai começar de novo e até hoje eles (Prefeitura) não fizeram uma operação de capina nas ruas. No início do ano e mais para o final, a desculpa é a chuva. E agora? Falta de tempo? Rsrsrsrs”, questionou a cidadã. E a reportagem recebeu outras reclamações no mesmo sentido, em vários pontos da cidade. Conforme os reclamantes, “como a Prefeitura não limpa onde é sua obrigação, os donos de lotes vagos não se preocupam também, pois o exemplo tem de vir ‘de cima’”, conforme disse um cidadão. Com a palavra os responsáveis.

Incômodo “master” por telefone - A palavra indica conhecimento, habilidade, acima da média e, no caso das reclamações apresentadas à reportagem, pode também representar o índice do incômodo que tem causado. São em média, nove/dez ligações telefônicas ao dia, cada uma por um número diferente, insistentemente ao longo do dia, desde a manhãzinha até o meio da noite. E quando o telefonema é atendido, uma mensagem de robô informa que “é da Master” e em seguida pede a confirmação do CPF da pessoa que atende. Trata-se de trabalho de telemarketing da “Master”, que está incomodando, e muito, as pessoas, com ligações insistentes durante o dia. A reportagem tem informação de que a empresa deve ser acionada judicialmente pelo fato, para que coloque um fim nesta insistência absurda de abordagem a clientes e possíveis clientes, para venda de seus serviços. Tudo tem um limite! Alertam os reclamantes

Cachorros na praça é questão de saúde pública - O problema já é conhecido dos itaunenses e aumenta a cada dia. Nesta semana, por exemplo, uma matilha de cães abandonados ocupava o local onde tem pontos de ônibus na Praça da Matriz, próximo à agência do Banco Mercantil. De lá, seguiram para a Praça da Matriz, onde perambulam por todo o dia. Além dos problemas de alguns deles serem agressivos, atacando pessoas, também provocam riscos à saúde. Doenças como a leishmaniose, raiva e tem aí um bom espaço de expansão. Também difundem carrapatos, pulgas, moscas e outros insetos, com seus excrementos. Existe ainda a questão da colocação de água e alimentos para esses animais, de maneira desordenada, o que gera ainda mais problemas, já que permite a proliferação de mosquitos da dengue, nos vasilhames com água que ficam por dias sem serem trocadas, limpas... restos de alimentos, de ração, que são espalhados pelas ruas, passeios, jardins... E toda essa situação exige uma política pública capaz de organizar a assistência aos animais abandonados – que fica sempre sob responsabilidade de entidades filantrópicas e, portanto, sem condições financeiras de arcar com os altos custos – além de condições de implantar punição a quem abandona os animais e joga a sua sobrevivência sob responsabilidade da sociedade. Enfim, é urgente a necessidade de o poder público assumir as suas responsabilidades na questão e presentar uma solução. Da maneira que está é que não pode ficar, arrematam os reclamantes.

 

A VOZ DO POVO

Publicado em: 11/02/2022

VOZ DO POVO

Publicado em: 04/02/2022

A VOZ DO POVO

Publicado em: 07/01/2022

Trevo alagado a cada chuva forte

Página 1 de 2