Acabou, P....!

Por Publicado em:10/07/2020 | Atualizado em:29/11/-0001 741

É, minha gente, no Brasil pode-se morrer de tudo, menos de tédio!
O desbocado capitão presidente que vinha rugindo como um leão está agora miando como um gatinho! O que aconteceu para tão brusca transformação? Desde o início do seu governo, o capitão vinha investindo contra as instituições, dando entrevista bombástica no cercadinho do Alvorada, comparecendo sistematicamente em comícios de seus fanáticos seguidores que pediam o fechamento do Supremo, do Congresso e a intervenção militar!

Nos últimos dias as coisas mudaram. Em suas tentativas de intimidar o STF, teve como resposta sua resistência, bem como a da sociedade civil, que num manifesto de cidadãos de todas as tendências políticas: escritores, jornalistas, artistas... partiram para a defesa das instituições democráticas. E finalmente, numa solicitação da PGR (Procuradoria Geral da República) e autorizada pelo ministro Alexandre de Moraes, nova ação de busca e apreensão em gabinetes e residências de 10 deputados e 01 senador apoiadores do capitão e de blogueiros acusados de financiar e promover atos antidemocráticos. Tudo ligado ao Gabinete do Ódio, instalado no 4° andar do Palácio do Planalto, sob o comando do Carluxo, o 02! Como se vê, a investigação começa a subir a rampa do Palácio, e o capitão sentiu o golpe.

No outro dia, numa reunião ministerial, desta vez transmitida ao vivo, o capitão fala manso, apela pelo entendimento (coisa que jamais fez) entre os poderes e, incrível, defende a democracia, a verdadeira, a que ele não acredita, pois a sua é sem o STF e o Congresso!
Claro que esta atitude é tática, pois se sente acuado. Os generais em seu entorno ficaram calados. E até o general Heleno foi convocado pela PGR para prestar esclarecimentos sobre sua nota ameaçando o ministro Celso de Melo.
O capitão é doido, mas não rasga dinheiro! E sua loucura tem método, como dizia polônio sobre Hamlet, na peca de Shakespeare.
Num afago ao STF, demite o moleque do Weintraub do Ministério da Educação, que foge para os EUA com medo de ser preso. Nesse mesmo dia, para a desdita do capitão, o Fabrício Queiroz, chefe miliciano e amigo íntimo da família Bolsonaro, é preso. Ele estava escondido na casa do advogado Frederick Wassef, em Atibaia. Mas quem é Frederick Wassef, ora advogado de Jair Messias Bolsonaro e seu filho Flávio Bolsonaro?

Parece que Atibaia caiu no gosto de bandidos! Aconselho o prefeito a instalar guaritas e mata-burros nas entradas da cidade, antes que ela se transforme em um novo Morro do Alemão.
A prisão do Queiroz abre uma ampla avenida para as investigações! Senão, vejamos, o Frederick Wassef é ex-marido de Cristina Boner, empresária que tem contratos com o governo federal, desde os tempos da Dilma, quando faturou em 4 anos 41 milhões de reais. Os contratos foram renovados no governo Bolsonaro, e no primeiro ano já faturou mais de 42 milhões de reais, com uma projeção de ganho, até o fim desde governo, de 250 milhões de reais. Frederick Wassef separou da Cristina, mas continua seu sócio nas empresas. O advogado Cata Preta tem como cliente a Cristina Boner, logicamente enrolada com a Justiça por fraudes e é também advogado do Queiroz. Vejam como o círculo de fecha! A cada enxadada, uma minhoca! E a situação se complicando para o clã bolsonarista.

Bolsonaro mandou 03 ministros a São Paulo conversar com o ministro Alexandre de Moraes, que ficou perplexo.
O instinto de sobrevivência do capitão está falando mais alto. Sua natureza está sendo reprimida! Vamos ver até quando ele aguenta.
Nesta situação o STF costuma amaciar, jamais radicalizar. O ministro Gilmar Mendes já protelou o processo do Flávio Bolsonaro sobre o fórum especial, o que ele podia resolver com uma canetada, contra o senador. O ministro Celso de Melo prorrogou por mais 30 dias o processo do capitão em relação a sua intervenção na Polícia Federal e o ministro Alexandre de Moraes prorrogou por mais 6 meses as investigações sobre as ameaças ao Supremo e as fake news.

O fator Queiroz acendeu a luz vermelha para os comandantes militares que estão reticentes e num silêncio ensurdecedor! Parece que deram meia volta! Defender Bolsonaro e suas maluquices já era temerário! Agora defender um presidente envolvido até o pescoço com um chefe miliciano são outros quinhentos!
Sem apoio militar para qualquer aventura fora do processo legal, o capitão ficou pendurando na broxa e, como alternativa, teve que continuar a negociar com o Centrão, à moda da velha política, para, se possível, arrastar ate o fim de seu mandato. Mas o capitão sabe que não se compra o Centrão, o Centrão se aluga, e em tempos de luta pelo poder, sempre pode aparecer alguém que paga mais! E o Rodrigo Maia está com mais de 35 pedidos de impeachment na gaveta esperando o progressivo derretimento do capitão.

Agora sim parece que acabou, p....
Nota 1 - Nos últimos dias teve dois episódios pitorescos: o do ministro da educação que inflou seu currículo e do presidente da EMBRATUR, o sanfoneiro Gilberto Machado, convidando o mundo a visitar o Brasil num trepidante inglês que até eu, analfabeto na língua, fiquei horrorizado.
Este é o Brasil, entregue a ignorantes e arrogantes até quando...

Nota 2 - No último fim de semana foi à sanção presidencial um projeto de lei aprovado pelo Congresso obrigando as pessoas a usarem máscaras em ambientes de possível aglomeração e outras medidas. Pois, acreditem se quiser, o presidente, ao seu instinto homicida, vetou exatamente estes itens, inclusive os que obrigavam o uso de máscara em presídios e instituições que abrigam menores infratores. Pelo que se vê, o capitão é um caso perdido.

Continuo à disposição para atestar sua incapacidade para o cargo, este cidadão deverá ser internado com uma boqueira de ferro ou ser julgado pelo Tribunal Internacional de Haia, como foi Idi Amin Dada por crimes contra a humanidade.
Quero estar vivo para ver esse desfecho! Não em vida do outro lado.

José Simonini Filho

Avalie este item
(0 votos)

Compartilhe esta notícia


Warning: preg_match(): Unknown modifier '/' in /home/storage/d/52/6b/folhapovoitauna1/public_html/plugins/system/cache/cache.php on line 217