Obrigado, Bolão, Flavinho e Tilinho

Por Publicado em:16/03/2019 | Atualizado em:29/11/-0001 1700

Muito obrigado pela determinação e coragem de colocar o Grêmio Recreativo Escola de Samba do Clube dos Zulus novamente desfilando num misto de Escola de Samba e Bloco, na Jove Soares. Gostei muito do formato que vocês bolaram: cabeça de escola de Samba com uma bela Comissão de Frente comandada pelo bailarino Juliano Machado, Porta Estandarte ostentando o Zuluzinho, destaques, Mestre Sala e Porta Bandeira com o Gil e sua filha Vitória arrancando aplausos por toda a avenida com suas evoluções, uma bateria nota dez e duas alas no formato de bloco com os participantes muito à vontade, trajando a camisa do Zuluzinho, sambando, bebendo cerveja na maior alegria, como é o comportamento dos componentes de qualquer bloco por este Brasil afora. Tenho certeza que a Jove Soares apinhada, em sua maioria de jovens, que não conheceram os belíssimos carnavais do passado com o desfile dos Unidos da Ponte, Perdição, Pães e Zulus, viu pela primeira vez uma exibição ao vivo de uma Comissão de Frente, destaques, e, principalmente, de um Mestre Sala e Porta Bandeira ostentando o Pavilhão da Escola amarelo e preto com o sorridente Zuluzinho, tremulando de um lado para o outro na avenida, num bailar de giros e mesuras mil. O Zulu é uma marca forte. Pude perceber isto com muita clareza durante o desfile. Apesar de não desfilar há mais de dez anos, os aplausos e os acenos vindos das janelas dos prédios indicava que ele estava muito vivo na memória de todos. Já no sábado de carnaval as centenas de camisas com o símbolo do bloco desenhadas pelo competente Marco Antônio, cujas vendas foram coordenadas pela Cleide Matos, se esgotaram. Pela primeira vez saí em uma ala acompanhado por dezenas de componentes da velha guarda e pude observar o povão boquiaberto aplaudindo o Bloco dos Zuluzinhos Jove Soares afora. Como disse o Flavinho, o carnaval começou ontem e em 2020 tem mais. A nação Zulu agradece de coração a determinação de vocês. Em nome de todos, muito obrigado, mas muito obrigado mesmo.

Sérgio Tarefa

Avalie este item
(0 votos)

Compartilhe esta notícia