Êta Brasil véio e sem porteira...!

Por Publicado em:29/04/2022 | Atualizado em:29/11/-0001 227

É, minha gente, o mundo está sob um dilúvio de ignorância! Vejam o que está acontecendo na Ucrânia, um país livre, que queria ser membro da ONU e simplesmente foi invadido por outro mais forte e poderoso. Em pleno século XXI presenciamos esta barbaridade. O presidente da Ucrânia tinha que saber com quem estava lidando. Ele mais do que ninguém, devia saber que era o carniceiro Putin, mas vamos deixar para lá, tratarei de meter minha colher de pau nesse assunto em outra oportunidade.
Vamos falar sobre o Brasil, este país desgraçado! Continuamos na mesma ladainha de sempre: os pretensos “governantes” estão a tratar dos próprios interesses. O capitão, desde o primeiro dia em que recebeu a faixa presidencial, vem batalhando para a reeleição de um governo que jamais existiu. Seu trabalho consiste em usar as redes sociais para insuflar a violência e desrespeitar as leis. É um destrambelhado que nunca soube de nada e jamais aprenderá algo de útil. Na realidade, sua aparição no cenário político brasileiro teve a função de descortinar para o País os milhões de brasileiros que estavam no armário e rezam pela cartilha dos foras da lei.
Neste contingente, encontramos membros da classe média que ganham entre 5 e 10 salários-mínimos, sabem ler e escrever e acham que o mundo deve girar de acordo com seus interesses pessoais em confronto às leis civilizatórias. Pelas pesquisas realizadas mensalmente, constitui um grupo entre 20 e 25 milhões de pessoas, que não podem ser ignoradas, mas não terão condições de reeleger o capitão. Daí a agitação antidemocrática da turma. Não falarei mais de “governo” neste texto, mas contarei as barbaridades desta quadrilha institucionalizada, pois não vamos deixar arrefecer nossa indignação.
O capitão continua a bradar contra vacinas, urna eletrônica e o Supremo Tribunal Federal – STF. É seu samba de uma nota só. Única mensagem que habita seu cérebro de pedra! Vamos largar pra lá...
O pobre diabo esqueceu que terceirizou o governo para o Centrão e mandou o ministro da Educação atender dois pastores do seu rebanho e fornecer dinheiro do ministério para suas traquinagens ditas religiosas. Resultado: o Centrão mostrou quem manda e despediu o ministro. E o capitão, o que fez? Ora, se recolheu à sua insignificância.

Outra do capitão: Num vídeo, o mito mostra suas habilidades com uma arma. O homem que propagandeia armas para todos não sabe atirar, não sabe nem destravar uma pistola... Agora está explicado o assalto de que foi vítima. O destemido capitão entregou passivamente sua moto ao bandido. Uma surpreendente reação de um vigoroso atleta. Após o tal assalto, ele comunicou aos seus amigos milicianos o acontecido e três dias depois o assaltante foi preso e a moto e a arma, recuperadas. Os milicianos são eficientes nessa área. E dias depois de preso, o assaltante foi encontrado “suicidado” na prisão, por enforcamento. É isso aí, o capitão não passa de um falastrão covarde. Agora queremos ver o valente pular de paraquedas, pois sua formação militar é essa. Aconselho-o a treinar bastante a puxar a cordinha que abre os paraquedas. Neste caso, ele não terá o “Carluxo” a lhe dar instruções.
Outra do capitão: Ele come direto com as mãos. Apesar de espalhar farofa para todos os lados, acho que é um grande progresso! Pensava que ele comia enfiando o focinho diretamente no cocho.
Mais uma: No dia 8 de março, Dia Internacional da Mulher, o capitão resolveu homenageá-las. O que disse o grande líder? Que as mulheres, até os anos 50 e 60, ou eram domésticas ou no máximo professoras. Hoje, elas estão se integrando à sociedade. Que maravilha! No outro dia, foi a vez do procurador-geral da República, Augusto Aras, aprofundar o fino pensamento dos membros desse “governo”. O que disse o homem que ocupa o mais alto cargo do Ministério Público da República? Ora, que agora as mulheres estão se libertando e podem até escolher a cor do esmalte que passam nas unhas e os sapatos que calçam! Esse cara é o procurador-geral da República, o que acham disso os ilustres advogados do Brasil?
No último dia 31 de março, o “general de pijama”, o ministro da Defesa, Braga Neto, em uma ordem do dia do ministério, teceu inusitados elogios à “revolução” (golpe) de abril de 1964. Segundo a nota, a tal “revolução” foi para salvar a democracia. Ora, como salvaram a democracia? Fechando o Congresso, cassando mandatos de governadores, senadores, deputados e ministros do Supremo, suspendendo as eleições? Prenderam, torturaram e mataram! O que esse ministro-general de quatro estrelas entende por democracia? Em que mundo ele vive? Em que língua aprendeu a falar e onde aprendeu a interpretar textos? Esse é um general de quatro estrelas, participando de um governo no século XXI. Será que ele acha que os brasileiros são um bando de imbecis?
Realmente, nós, brasileiros, precisamos mesmo pensar bastante sobre nosso futuro, pois as ameaças do presente existem e são explicitadas pelos altos escalões do governo. O general Braga Neto é um general de pijama, não tem canhão... E são dos canhões em mãos irresponsáveis que temos medo. Não do cidadão empijamado.

No dia 7 de Setembro do ano passado, tentaram o golpe e perderam. Eles não aprendem nada. Vão tentar novamente? Vamos ver o que vai nas suas cacholas. Eles insistem em caminhar alegremente para o passado. Veremos novamente o ridículo desfile de tanques soltando fumaça para todos os lados na Praça dos Três Poderes?
PS: Aconteceu um fato que ilustra bem a democracia que os autores do golpe de 1964 instalaram no Brasil e que o general Braga Neto exalta no comunicado do dia 31 de março.
O que aconteceu? A jornalista Mirian Leitão, em um artigo no jornal em que trabalha, disse que não se pode comparar Lula com Bolsonaro, o que é verdade (Lula comandou um esquema de corrupção monumental em seu governo, porém não é golpista e nem genocida, como Bolsonaro). Aí o deputado Eduardo Bolsonaro tomou as dores do pai, o Jair, e lembrou um fato escandaloso do golpe de 1964. Mirian Leitão, uma militante contra aquele golpe, foi presa e torturada, e estava grávida. E o que os defensores da democracia do general Braga Neto fizeram? Prenderam a jornalista, sem roupas, num quarto escuro, com uma cobra solta!!!!!!! Então, numa rede social, o deputado Eduardo, vulgo Bananinha, escreveu que tinha pena da cobra. Esse indivíduo foi o deputado mais votado de São Paulo. Um vagabundo, covarde como o pai, e tanto um como o outro não galgaram nem o primeiro degrau do processo civilizatório! Atenção, bolsonarista de raiz. É esse tipo de gente que vocês adoram. Será que compartilham com esses fatos?

Avalie este item
(0 votos)

Compartilhe esta notícia